Articles by Nataleuza Sousa

You are currently browsing Nataleuza Sousa’s articles.

A Ericsson Telecomunicações S/A participará de um evento em Nova Iorque (Estados Unidos) e gostaria de levar a um congresso internacional este projeto de sucesso (Saúde Alegria) onde todas as atenções estarão voltadas a Belterra a fim de melhorar ainda mais a qualidade de vida e o acesso as informações para estas comunidades
Gostaríamos de convidá-los a participar de uma pesquisa realizada pela Ericsson e Vivo sobre a qualidade de vida e o acesso as informações que a comunidade de Belterra tem após a implementação do projeto Saúde Alegria.
Precisamos de no mínimo 150 respondentes, porém quanto mais participarem da pesquisa, mais informações teremos sobre a realidade das comunidades de Belterra hoje.
Desta forma a sua participação é muito importante para nós, pois com estas informações poderemos entender melhor você e a sua comunidade a fim de trazer melhorias para todos.
São 15 questões que deverão ser respondidas via internet.

Entre no link abaixo e participe você também!

http://tst.blueprintsoft.com/ProtoFormWap/form/belterra


No ultimo 8 de Março em comemoração ao dia internacional da mulher, o seguimento de mulheres: Conselho Municipal dos Direito da Mulher de Belterra (CMDM/B); Movimento de Mulheres Organizadas de Belterra (MMOB); Associação Feminina de Belterra (ASFEBEL) e Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Belterra (STTR/B) promoveu uma bela programação onde estiveram presente 120 mulheres.
Os temas foram todos voltados ao seguimento feminino, homenagens, mensagens muitas brincadeiras e o almoço foi preparado pelos homens presentes.
O prefeito Geraldo Pastana esteve presente e relatou a importância da mulher na sociedade, a vereadora Malu, expôs o avanço da mulher nos cargos ocupados no decorrer dos anos, dona Lúcia, a presidenta do Sindicato do trabalhadores(a) Rurais, lembrou das lutas para que as mulheres pudessem ter seus direitos respeitados. A importância da mulher estar inserida no uso das tecnologias também foi colocado por Nataleuza em relação ao preconceito de capacidade da mulher em lidar com a tecnologia levando a uma das principais barreiras de acesso. A exclusão é maior na faixa etária acima de 40 anos quando a mulher tem tripla jornada com seu trabalho fora, com a casa, os filhos e lhe sobra pouco tempo para investir em si mesma, é preciso proporcionar e incentivar a participação das mulheres no uso das tecnologias e garantir à estas o direito a comunicação, a expor seu ponto de vista, a ter acesso a conteúdo e principalmente ter igualdade de oportunidades.

Entrada de acesso à Belterra.

Oficina sobre a Lei de Uso e Ocupação do solo – LUOS, tem programação para os dias 24 e 25 de fevereiro, visando preparar participantes para atuarem efetivamente no processo de elaboração do instrumento legal para o desenvolvimento urbano, que estabelece normas de parcelamento e uso do solo, atribuindo intensidades de ocupação, utilização e atividades adequadas, toleradas e proibidas.
LOUS – O objetivo geral é estimular e orientar o desenvolvimento do Município aproveitando seu potencial ambiental, econômico e de infra-estrutura em equilíbrio com o meio ambiente e buscando cumprir a função social da cidade, democratizando o acesso à terra e à qualidade de vida.
A legislação de uso e ocupação do solo é fundamental para o Município, por normatizar as construções e definir o que pode ser feito em cada terreno particular, interfere na forma da cidade e também em sua economia.
A determinação dos tipos de usos, muitas vezes, acontece em função de usos já consolidados, ou seja, a legislação apenas reconhece esses usos. Nesse caso, seu papel de direcionar a ocupação da cidade fica resumido à legitimação do espaço construído, independentemente da dinâmica, ainda que perversa e excludente, que tenha definido esta construção. Com todo esse impacto sobre o mercado imobiliário, e o fato de a legislação ser detalhista e tecnicista, praticamente incompreensível para os não-iniciados, é muito fácil que a lei de zoneamento se transforme em moeda de troca.
O rompimento da visão tradicional da cidade fragmentada em zonas especializadas,trata-se de abandonar a concepção da cidade enquanto “máquina de morar e produzir”, onde cada área tendo usos claramente diferenciados, exigindo uma ênfase na infra-estrutura de transporte que suporte o deslocamento dos cidadãos das áreas residenciais para as áreas de trabalho.
Esse conceito é substituído pela valorização dos aspectos humano, dando lugar especial às relações de vizinhança, entendendo a cidade enquanto espaço de prática da cidadania e convívio social.
As LUOS, em geral, são um conjunto de dispositivos de difícil entendimento e aplicação, e não são muito acessíveis aos cidadãos por seu excesso de detalhes e termos técnicos.
Em muitos municípios, a é uma “caixa preta”, que poucos conhecem profundamente.

PLANO LOCAL DE HABITAÇÃO DE
INTERESSE SOCIAL DE BELTERRA
A promulgação da Lei Federal 11.124 de 16 de junho de 2005, que criou o Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social (SNHIS) e o Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS), marca um novo momento da política habitacional no Brasil, ampliando o volume de recursos não onerosos para o enfrentamento das carências habitacionais, condicionando, porém, o repasse de recursos federais à criação de fundos, conselhos e elaboração de planos de habitação de interesse social estaduais e municipais, visando constituir instrumentos capazes de combater o déficit habitacional no País.
Atendendo às condições determinadas pelo SNHIS, a Lei Estadual 7.087 de 16 de janeiro de 2008 criou o Sistema Estadual de Habitação de Interesse Social – SEHIS, que apresenta como órgão central o Conselho Estadual das Cidades – ConCidades/PA, o Fundo Estadual de Habitação de Interesse Social – FEHIS e o Conselho Gestor do mesmo. Em 2010, o Plano Estadual de Habitação de Interesse Social no Pará – PEHIS, foi aprovado pelo ConCidades/PA, indicando as principais carências de moradia nas diversas regiões do Estado, as estratégias de ação para aplicação dos recursos do FEHIS e de enfrentamento dos problemas habitacionais no Estado.
O município Belterra em consonância com a conjuntura nacional e estadual vem desenvolvendo um processo de construção de sua política habitacional, iniciando a elaboração do Plano Local de Habitação de Interesse Social – PLHIS, que, através de um processo participativo, deverá identificar as necessidades habitacionais no município e apontar estratégias para mitigar as carências da população local.